?

Log in

No account? Create an account
Amanda
26 September 2008 @ 05:39 am
They are not you.
 
 
Current Mood: sadsad
Current Music: Jon McLaughlin - Beautiful Disaster
 
 
Amanda
Fica a dúvida.
 
 
Current Mood: pensivepensive
Current Music: Marcelo Camelo - Janta
 
 
Amanda
18 September 2008 @ 03:19 am
Por que o meu perfume favorito tinha que ser aquele?
Existem tantas fragrâncias eternizadas por aí... angel, channel nº 5, carolina herrera. Por que justamente o Myriad Blanc, edição limitada 2007 teve que me seduzir dessa forma?
O conheci por um acaso, mas desde a primeira vez que senti o cheiro eu percebi que ele nunca iria ser um simples perfume.
Talvez ele não fosse o melhor, mas foi definitivamente o favorito. 
Não sei se é pelo aroma, a embalagem... a raridade. O conjunto. O perfume me encantou como nunca havia sido encantada. Como se aquele cheiro de alguma forma já pertencesse a mim, e a sua chegada fosse apenas um insight, daquilo que já me pertencia.
Mas o perfume era edição limitada, e hoja está esgotado nacionalmente. Usufrui de suas últimas gotas um dia desses... não que ele tenha acabado, ainda restam algumas gotinhas sim, aliás... muito mais do que aquele restinho que sobra quando um perfume acaba, sabe? Que ou você joga a embalagem fora e compra um novo ou guarda o recipiente praticamente vazio, já morto, sem cheiro. Ainda resta perfume no meu caso. Pra uma vez, talvez duas. Mas e se eu usa-lo?
Não há estoque, não há produção. Não há sorte nem piedade. O borrifar de suas últimas gotas funcionaria como um último suspiro vital. Aquela fragrância, tão doce, tão essencial... simplesmente deixaria de existir.
Não sei se eu consigo fazer isso. Como uma rebelde, uma álcoolatra, aproveitar as últimas gotas e me embriagar. Aproveitando o que me resta, sem pensar no amanhã. Como seria o amanhã sem a certeza que de alguma forma, a hora que eu quiser sentir o cheiro do meu doce perfume, ele ainda vai estar lá? A segurança de que me restam gotas, em caso de qualquer emergência, elas estaram exatamente ali aonde eu deixei. A confiança que independente do que aconteça, não importa quantos perfumes novos eu comprar... o meu favorito ainda não acabou.
Acho que só agora que eu me dei conta de que ele era realmente o último. Eu usei tanto ele, abusei sem pensar. Nem se passava pela minha cabeça que ele era tão raro assim, tão essencial.
Agora o que me resta é lidar com a presença da ausência. Admirar todos os dias em minha estante, o frasco do perfume favorito... aquele que eu aproveitei sem medidas e hoje tento salvar as últimas gotas. Saber que ele ainda está lá, mas não poder utiliza-lo. O medo, de que um impulso mais forte me faça simplesmente borrifa-lo, numa nostálgia angustiante de reviver tudo aquilo que ele representa. Eu matei o perfume. Acho que gostei tanto dele que quis usar tudo de uma vez só. Hoje só me resta o frasco, as gotas de consolo... a barreira que me impede de inala-lo mais e mais, o fim.
Eu devo ser uma viciada nesse perfume. E agora que ele está pra acabar, nada me resta.

Perfumes melhores virão (?). Talvez mais bonitos, mais caros, com sorte igualmente sedutores.
Mas nem de longe se igualariam ao meu falecido perfume.
Tags:
 
 
Current Mood: nostalgicnostalgic
Current Music: John Mayer - Back To You
 
 
Amanda
15 September 2008 @ 03:46 pm
Respiro fundo algumas vezes, inalando o que resta das últimas fragrâncias de fundo do perfume. Aquele perfume do estoque esgotado, da produção limitada. Aquele que era simplesmente o último, aquele que não podia acabar. Mas acabou.


So, I will head out alone, hope for the best
We can pat ourselves on the back
And say that we tried
And if one of us makes it big
We can spill our regrets
And talk about how the love never dies
But you and I, know the reason why.



E lá se foi (?) meu cheiro favorito.

 
 
Current Mood: indescribableindescribable
Current Music: Rachael Yamagata - The Reason Why
 
 
Amanda



Katya: Sometimes, even if you have the keys those doors still can't be opened. Can they?
Jeremy: Even if the door is open, the person you're looking for may not be there, Katya.


Taí, gostei! (:
 
 
Current Mood: rejuvenatedrejuvenated
Current Music: Norah Jones - The Story
 
 
 
Amanda
A finitude sempre foi uma coisa relativa pra mim. Dumb me. If love's true, it never fades... Bullshit!
Tudo acaba. Na hora certa, na hora errada... still, it does. Não importa quão bonito/memorável/honrável seja. Nothing will last forever... sweet. (Y)

Mas como eu posso me conformar com o fim das coisas mais belas, mais engrandecedoras? Como eu posso não querer mais? Será que nem a garra e a esperança são infinitas?

"Flaubert believed that anticipation was the purest form of pleasure... and the most reliable. And that while the things that actually happen to you would invariable disappoint, the things that never happened to you would never dim. Never fade. They would always be engraved in your heart with a sort of sweet sadness."



Will I remember you when I've forgotten all the rest?
Tags:
 
 
Current Mood: quixoticquixotic
Current Music: Bob Dylan - I'll Remember You
 
 
Amanda
09 September 2008 @ 12:15 pm
Palpites:

Vovó: Virose
Mamãe: Apendicite
Eu: Úlcera ou diverticulite.


Quem da mais? \o/
Tags:
 
 
Current Mood: nauseatednauseated
Current Music: Arch Enemy - Diva Satanica
 
 
Amanda
09 September 2008 @ 06:40 am
Febre: 38,5.
Dor de estômago: Escala 4.
Dor de cabeça: Escala 3.

Vômitos: Não.
Diarréia: Não.
Prova de neuroanatomia: Não. :(



06h45min.



Febre: 37,5.
Dor de estômago: Escala 7.
Dor de cabeça: Escala 3.

Vômitos: Não ainda.
Diarréia: Muita.



12h15min.
 
 
Current Mood: soresore
Current Music: Zeca Baleiro - Meu Amor, Minha Flor, Minha Menina
 
 
Amanda
08 September 2008 @ 08:13 pm
Um cadin de sangue à menos. 1L de soro à mais. Bile, flora intestinal, e whatever once was inside me tbm já foi way down the river.
Juro que se não fosse a dose cavalar de buscopan na veia pra não sentir o meu intestino delgado subir até a garganta, eu já tinha feito meu testamento e arrancado o próprio (e seus miseros 7m e 46cm) pela minha garganta só pra ver se essa porra para de doer e de se mexer aqui fora. Mai que cacete... sabe o que é passar uma tarde inteira sentindo dor. Então, por aí. Se eu fosse colocar numa escala, seria uma dor 7 ou 8. Mas pô... sentir isso a tarde inteira é de foder né?

Anyway só pra vocês (quem? Oo) saberem, meus únicos bens de valor são um dvd player, um palm, um IPod e um computador. Quem quiser já ir separando o que quer eu já faço o rascunho do bagulho, antes que seja tarde demais. [/drama]

Tarde demais porque vi um cara com os seus 50 e alguns anos - 60 e poquin no máximo, agonizando na mesma sala que eu tomava meu sorinho. Fumante, ele mal conseguia respirar COM a mascara de oxigenio. Estava parado E ofegante, uma das coisas mais assustadoras que eu já vi. Juro que depois que eu me convenci que não ia morrer de cancer no estômago, eu me vi debaixo da pele desse cara.
Mas a vida é dificil, né? Cheguei em casa acendi um cigarro... tipo que como uma bonificação pela tarde dolorida.
Ainda assim... eu quero mais pra mim.

Será que um dia eu tomo jeito?
Tags:
 
 
Current Mood: sicksick
Current Music: Led Zeppelin - Dazed And Confused
 
 
Amanda
 
 
Current Mood: sleepysleepy
Current Music: Radiohead - Fake Plastic Trees